placeholder 960

A Vida de Jesus em nós


Precisamos viver da Eucaristia, que é amor e só amor. A nós, portanto, cabe aperfeiçoarmos o amor, renovar-lhe cada dia o foco que nos há de inflamar, fortificando-o em nós mesmo antes de cogitarmos em espalha-lo em redor pelas obras exteriores.
Toda vida de quem receber tantas vezes o Amor Encarnado não deve ser se não o desenvolvimento, o desabrochar desse Amor. Quem não se esforçar por aperfeiçoa-lo, primeiro, em seu coração, jamais fara progressos. Sede, em verdade, discípulos de Jesus Cristo e vivei de amor, cujo espírito o divino Paráclito depositou em vossos corações. Impõe-se, pois, amar muito, amar generosamente, amar soberanamente.


A VIDA OCULTA DE JESUS


Quanto a vós, que vos quereis santificar pela Eucaristia, deveis viver da vida toda interior e oculta de Jesus no Santíssimo Sacramento.
A eucaristia é o fruto do seu Amor, e o Amor jaz no coração. Para nos tornar sensível esta verdade, Jesus Cristo não se mostra a nós; não lhe percebemos o Corpo, nem lhe provamos o Sangue. Na Eucaristia nada há de sensível. Jesus quer que procuremos seu Amor no fundo do seu Coração.


RETIRAR-SE PARA ORAR E CONTEMPLAR


Os apóstolos, lamentando o pouco tempo de que despunha para orar, ordenaram os diáconos, para aliviá-los no ministério exterior. Jesus Cristo, em vida, foge do povo, retira-se, oculta-se para orar e comtemplar. E nós havemos de levar uma vida puramente exterior? Possuímos, por caso, um fundo mais rico de graças, forças mais solidas para o bem do que os apóstolos? E não nos da Nosso Senhor o exemplo? Na verdade, toda piedade que não se alimenta da oração, que não se recolhe no seu centro, isto é, em Jesus Cristo, para reparar suas perdas e renovar sua vida, fenece e acabar morrendo.


A VIDA INTERIOR


No Santíssimo Sacramento, Nosso Senhor não pratica, de modo aparente, as grandes virtudes de sua Vida mortal, nem sua Sabedoria proclama mais sentenças divinas. Do seu Poder, de sua Gloria, nada transparece. Em ser pobre, pequeno, simples esta toda sua vida Eucarística
“Ai nos ensina Ele que a santidade é exercida sobre tudo nas pequenas ocasiões.”
O aniquilamento em que esta, essa ausência de vida exterior, nos ensinam que nada há de mais perfeito do que a vida interior. Toda feita de atos brotados do coração, de impulsos amorosos, de união as intenções de Jesus. Ah! Deus ama com amor de predileção os humildes e os pequenos que vivem aos seus pés.


O TEMPO PASSADO AOS PÉS DO ALTAR


Nunca julgueis como perdidos para o bem os momentos passados aos pés do altar, é quando o grão esta enterrado que se declara a fecundidade. O colóquio eucarístico, eis a semente das virtudes. Não faltarão almas em nossos dias, que se dediquem ás obras de zelo exterior. Serão louvadas, talvez demasiadamente. Pedi a Deus que elas se nutram da oração.
Coragem! Que vossas virtudes sejam amáveis, atraentes para o próximo. Revesti-as, pois, da doçura de Jesus Cristo. Nada é amável como a simplicidade, despida de pretensão. A virtude que se oculta, que trabalha em silencio, será por todos abençoada. A paciência, que brota do coração sem violência, e a caridade simples e natural são frutos da vida oculta que se alimenta de Jesus Cristo e da contemplação dos exemplos de sua Vida Eucarística.”


Texto produzido por  São Pedro Julião Eymard